domingo, 12 de janeiro de 2014

Até que ponto aquentamos?

Sabe quando você para e diz que precisa escrever para relaxar e quando na verdade nada sai porque suas ideias não estão no lugar? 

Bem, então é hora de parar e refletir, ouvir a voz interna que está gritando a fim de ser ouvida; mas nós nos acostumamos a ouvir sempre vozes externas, a deixarmos a decisão vir do externo que nem lembramos que existe uma voz dentro de nós clamando para ser ouvida.

Neste momento tento restabelecer a comunicação com essa voz que por mim foi sufocada em diversos momentos da vida e hoje ela grita já quase sem forças. É parece que ela ficou algum tempo calada poupando energia para gritar agora para que pudesse ser ouvida ou simplesmente eu a ignorava.